Buscar
  • Luis Antonio Gomes

Distrito ubajarense de Araticum celebra 129 anos

O local já foi o município em 1963

Quem visita o Parque Nacional de Ubajara (Parna) tem uma vista privilegiada com belezas naturais e pode observar o centenário Distrito de Araticum, localizado em Ubajara. Hoje, os seus moradores comemoram 129 anos e com diversas curiosidades.


O nome ‘araticum’ é de origem tupi-guarani e significa “árvore rija e dura, fruto do céu, saboroso ou fruto mole’’, que a depender da região é a fruta ata, pinha ou condessa. O fruto é encontrado em abundância no distrito.


Para chegar ao distrito de Araticum saindo de Ubajara, é possível ir pelo Parque Nacional, via bondinho, como também pela BR 222, que totalizam 104km. O lugar está mais perto de Freicheirinha, 10km de distância, do que Ubajara.


Trecho da CE-581, que liga Freicherinha a Araticum - Foto: Governo do Estado do Ceará


O distrito já pertenceu a Ibiapina e foi desmembrado no 1º de setembro de 1920. E um dos fatos curiosos do lugar, que é 28 anos mais antigo que Ubajara, aconteceu em 1963, quando foi emancipado a município com a denominação de Grijalva Costa.


O livro ‘Trilha das Minas’, do professor Fábio Aguiar, conta a história do Araticum e retrata o período em que o distrito foi município.


“O Crescimento da VIla animou os moradores e despertou o chefe político ubajarense a pleitear a emancipação do distrito. A luta de Cesário deu resultado. Em 1963, Araticum foi elevado a município. O decreto lei chegou a ser publicado no Diário Oficial do Estado do dia 8 de outubro de 1963 nos seguintes termos: Lei nº 6.605, de 27 de setembro de 1963. Cria o município de Grijalva Costa, constituído do: território do atual distrito de Araticum desmembrado do município de Ubajara, deste Estado e dá outras providências”.


O autor também conta que o Golpe Militar de 1964 revogou a lei que emancipava o Araticum:


“A denominação era uma homenagem ao pai do grande entusiasta da emancipação política, o líder político Cesário Costa. Porém, antes de se realizar as primeiras eleições, eclodiu a Revolução Militar de março de 1964 e a referida lei foi revogada, o que abortou a emancipação de Araticum e de outros distritos cearenses”.


O professor Fábio Aguiar - Foto: Arquivo Pessoal


A população do Araticum frequenta mais Freicherinha do que Ubajara. Utiliza serviços de saúde, bancários e compra no comércio local, que emprega diversas pessoas nas fábricas de lingerie da cidade.


O Araticum tem suas belezas naturais, dentre elas o Balneário Palmeirinha, que atrai visitantes de outras cidades e é um dos pontos turísticos do local. Os araticuenses falam também do orgulho que sentem de outras localidades do distrito: Furnalhão, Chapada, Ipuzinho, Itaipu, Siriema, e as ruas 13 e a Vila Nova.


Furnas de Araticum - Foto: ICMbio


(Correio Ibiapaba)

85 visualizações0 comentário