A chegada do mês de agosto e os Festejos Religiosos de Guaraciaba do Norte

(0 comentário)

“Eia, povo devoto, a caminho, sob a vista bondosa de Deus! Vamos todos levar nosso preito à bendita Rainha dos Céus!” Para você que é guaraciabense, aposto que leu este trecho do hino da Padroeira de nossa cidade, acompanhado de sua melodia. Com a chegada do mês de agosto e há exatamente quatro dias que antecedem o início dos festejos em honra a Nossa Senhora dos Prazeres, que acontecem entre os dias cinco à quinze do referido mês, nossa cidade começa a viver um tempo que é único e traz lembranças marcantes de uma vida inteira.

A festa da Padroeira deste ano, tem um caráter jubiloso o qual podemos vivê-lo de maneira ainda mais intensa do que nos anos anteriores. Além de estarmos no ano em que se comemora os 260 anos de bênção da primeira capela dedicada à Virgem, também é o ano que começamos a sentir a sensação de uma “vida normal”, depois de um momento em que não somente nossa cidade parou, mas o mundo inteiro, devido a pandemia do COVID-19. O ano de 2020 entrou para a história dos paroquianos guaraciabenses por terem celebrado os festejos de maneira totalmente remota, exclusivamente virtual, dentro de suas próprias casas, através da internet e do rádio. Além disso, chegamos ao ano em que se comemora o Jubileu de Ouro da Diocese de Tianguá, criada em 1971.

Missa solene em Guaraciaba do Norte - Foto: Arquivo Paróquia


A festa religiosa de Guaraciaba, é uma das maiores do interior do estado do Ceará, e traz um impacto positivo em diversos setores do município; desde a questão espiritual até a econômica. É neste período também que diversos conterrâneos retornam a este pedaço de chão para relembrar seus tempos de outrora. É como se cada guaraciabense se sentisse chamado a viver esse momento juntos. Em uma cidade que nasceu e cresceu em torno de uma igreja, é fácil entender o motivo desta ligação tão estreita que liga a todos nós guaraciabenses.

Presença do público nos festejos - Foto: Arquivo Paróquia


Os festejos de 2021 terá algumas limitações. Afinal, ainda não estamos livres por completo da pandemia. Neste sentido, teremos uma festa que irá obedecer as recomendações dos órgãos de vigilância sanitária e os decretos da esfera municipal e estadual. Não será possível ainda grandes aglomerações, tampouco a presença dos parques de diversão que fazem a alegria de nossas crianças. Porém, temos a certeza de que a partir de agora poderemos acreditar que tudo irá melhorar. Mal podemos esperar para sentir novamente o cheiro da pipoca e do algodão doce que vai desbravando os ares no decorrer das missas no pátio da Paróquia. Quando tudo isso chegar, teremos a certeza de que poderemos cantar no mais alto possível: “Salve, ó virgem, mãe piedosa! Salve, estrela formosa do mar! Santa Mãe dos Prazeres, sobre nós lançai o olhar! Santa Mãe dos Prazeres, sobre nós lançai o olhar!”

(Romário Alves é escritor e professor licenciado em História e Pedagogia. Especialista em História do Brasil, Psicopedagogia e Supervisão Escolar e Ensino de Sociologia e escreve aos sábados no site do Correio Ibiapaba - 01/08/2021)

Avaliação atual: 5

Comentários

Não há comentários no momento.

Novo Comentário

obrigatório

obrigatório (não publicado)

opcional

Arquivo

2021
2020
2019
2018
2016
2014
2013
2012
2011
2010
2009