Toda a orla do Ceará está limpa, afirma Ministério do Turismo

(0 comentário)

Não há mais poluição por óleo nas praias do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco, informou o Ministério do Turismo, ontem, 4. Até domingo, 3, de acordo com levantamento feito pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), foram contabilizadas aproximadamente 4 mil toneladas de resíduos de óleo retirados das praias nordestinas. O descarte desse material é feito pelas secretarias de Meio Ambiente dos estados.

Apesar disso, o último relatório do Ibama ainda aponta para uma praia com manchas em Fortim, no Ceará. Em planilha publicada no dia 3 de novembro pelo site do Ibama, mas com data de 28 de setembro, a praia de Pontal de Maceió aparece com manchas.

Gerente de Análise e Monitoramento da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), Gustavo Gurgel detalha que ainda podem aparecer resquícios do óleo trazidos pela deriva litorânea. "Mas, no geral, podemos dizer que as praias não têm mais óleo novo e que foram limpas", ratifica.

O Grupo de Avaliação e Acompanhamento (GAA) do Governo Federal, formado pela Marinha do Brasil, Agência Nacional de Petróleo (ANP) e Ibama, contabiliza, porém, que muitos municípios litorâneos nordestinos permanecem com vestígios de óleo e ações de limpeza em andamento. São elas Maragogi, Japaratinga, Barra de São Miguel, Coruripe, Feliz Deserto e Piaçabuçu, em Alagoas; Sarney, Atalaia, Artistas, Náufragos, Abaís e Aruana, em Sergipe; Quartel, Rio Vermelho, Pituaçu, Stella Maris, Flamengo, Cairu, Busca Vida e Jauá-Japonês, na Bahia. O boletim é divulgado diariamente.

A empresa responsável pelo derramamento de óleo que atingiu o litoral nordestino poderá pagar multa de R$ 50 milhões, além de indenizações a pescadores e donos de pousadas. Ainda em investigação, a Polícia Federal aponta o navio Bouboulina, de bandeira grega, como o causador do vazamento. Embarcação é de propriedade da empresa Delta Tankers, que havia atracado na Venezuela e seguido para Singapura em julho.

A limpeza

A limpeza das praias é efetuada do nascer ao pôr do sol, diariamente, "contando com a expressiva participação de voluntários", como diz a nota. Ate o momento, mais de 8.370 militares, 27 navios e 14 aeronaves atuam na operação.

O ICMBio disponibilizou à Marinha redes de pesca apreendidas em suas operações que, após a doação, foram distribuídas às colônias de pescadores de Caravelas, Alcobaça, Prado, Nova Viçosa e Mucuripe, na Bahia, com objetivo de serem empregadas para a contenção de possíveis resíduos oleosos.

(O Povo - Foto: Fábio Lima)

Atualmente não avaliado

Comentários

Não há comentários no momento.

Novo Comentário

obrigatório

obrigatório (não publicado)

opcional

Arquivo

2019
2018
2016
2014
2013
2012
2011
2010
2009