Rota das Falésias será incluída no programa federal Investe Turismo

(0 comentário)

Representantes das oito cidades cearenses que compõem 215 quilômetros da Rota das Falésias, no Litoral Leste do Estado, já vivem a expectativa de receberem os investimentos do Governo Federal. Logo após o anúncio oficial do programa Investe Turismo, feito pelo Ministério do Turismo, no Centro de Eventos do Ceará, o ministro Marcelo Álvaro Antônio garantiu a destinação de recursos para a Rota das Falésias, na segunda fase do projeto. Contudo, considerando que a primeira etapa não foi iniciada, ainda não há prazos para um estágio posterior.

No primeiro momento, duas regiões cearenses deverão ser impactadas. Segundo o ministro do Turismo, o programa deverá focar em iniciativas de capacitação de pessoal, além de "ações de fortalecimento da governança dessas rotas, melhoria de serviços e atrativos turísticos".

Ao todo, deverão ser destinados R$ 5 milhões para projetos nos seis municípios que fazem parte da Rota das Emoções no Ceará (Trairi, Jijoca de Jericoacoara, Camocim, Cruz, Barroquinha e Chaval), e a capital cearense. A informação foi confirmada pelo secretário de turismo do município de Fortaleza, Alexandre Pereira.

"Vamos focar muito fortemente em capacitação. Fortaleza é o primeiro destino de férias do Brasil, mas não dá para imaginar que o turista vem para a cidade se ele não for bem tratado pelo taxista ou bem recebido no hotel, ou até mesmo não ser atendido corretamente nas barracas de praia", disse Pereira.

Do montante, R$ 2,7 milhões deverão ser aplicados em Fortaleza, enquanto o restante será usado em projetos nas demais regiões ou conceitos mais abrangentes. Contudo, os valores não serão destinados diretamente para os municípios em questão. Toda a verba será aplicada em projetos de desenvolvimento, como a criação de mecanismos para a melhoria da experiência de quem visita o Estado (entre os quais, aplicativos), e na elaboração de projetos de capacitação, que serão geridos pelo Sebrae.

Durante a apresentação do projeto, o ministro do Turismo confirmou que as verbas já haviam sido destinadas à administração nacional do Sebrae, que repassaria às unidades regionais. De acordo com Joaquim Cartaxo, diretor superintendente do Sebrae-CE, o Governo Federal não requisitou a criação de nenhuma nova iniciativa pela entidade. As atividades já desenvolvidas serão apenas potencializadas.

Potencial

Para o apoio das iniciativas do Sebrae, na Capital, serão destinados R$ 2,6 milhões, enquanto para a Rota das Emoções, será R$ 1,2 milhão. "Temos um leque de ações programadas, que vão desde cursos, fazer benchmarking, missões técnicas e mais. A grade de atividades é o que o Sebrae já promove", explicou Cartaxo. "O Ministério do Turismo, ao conversar conosco, disse que a gente tem esse leque de produtos e é isso que eles querem que seja desenvolvido no Investe Turismo", completou.

Cobranças

Apesar de defender o potencial do projeto, o ministro do Turismo foi cobrado por um grupo de empreendedores da organização da Rota das Falésias logo que a apresentação do Investe Turismo foi encerrada. Os empresários pediam que a rota fosse incluída ainda na primeira fase do projeto, alegando que, sem os recursos, eles ficariam "para trás" ante os avanços promovidos na Rota das Emoções.

Cercado, Marcelo Álvaro, no entanto, foi irredutível, mencionando questões jurídicas e burocráticas para a não inclusão da Rota das Falésias. O ministro do Turismo, contudo, garantiu que a região do Litoral Leste fará parte da segunda etapa do Investe Turismo. Ao todo, somando os R$ 200 milhões que serão aplicados nas 30 rotas escolhidas inicialmente, o projeto do Ministério do Turismo deverá investir R$ 500 milhões em ações de desenvolvimento do setor.

Melhorias

No entender do secretário de Turismo de Fortaleza, para melhorar o contato com os turistas, será necessário investir na capacitação dos taxistas (os primeiros a entrar em contato com os visitantes estrangeiros), garçons de barracas de praias e hotéis, além dos vendedores em pontos estratégicos, como os mercados Central, São Sebastião e dos Peixes. "O turismo permeia mais de 50 atividades econômicas, e ele traz um dinheiro novo para a economia da cidade. O turista que passa 5 dias em Fortaleza deixa R$ 2,5 mil aqui, com hotéis, restaurantes e feiras", disse Pereira.

(Diário do Nordeste, por Samuel Quintella - Foto: Gustavo Pellinzon)

Atualmente não avaliado

Comentários

Não há comentários no momento.

Novo Comentário

obrigatório

obrigatório (não publicado)

opcional

Arquivo

2019
2018
2016
2014
2013
2012
2011
2010
2009