Datafolha: Bolsonaro segue com maior rejeição entre candidatos após ataque

(0 comentário)

A rejeição ao deputado federal e candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) passou de 39% para 43% em nova pesquisa divulgada nesta segunda-feira (10) pelo Datafolha e continuou sendo a maior entre os presidenciáveis. Foi o primeiro levantamento realizado após o presidenciável ser vítima de um ataque a faca durante um ato de campanha, em Juiz de Fora, na última quinta (6).

A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Esta também é a primeira pesquisa Datafolha divulgada após o início do horário eleitoral gratuito na televisão e no rádio.

O levantamento foi realizado nesta segunda, com 2.804 eleitores de 197 municípios brasileiros. A pesquisa foi contratada Folha de S. Paulo e pela TV Globo e registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) como BR-02376/2018.

O Datafolha mediu a rejeição dos candidatos perguntando aos entrevistados em quem eles não votariam de jeito nenhum. Como os eleitores poderiam citar mais de um nome, a soma dos percentuais ultrapassa 100%.

Segundo Mauro Paulino, diretor do Datafolha, não se pode comparar o atual levantamento de rejeição com o anterior, de 22 de agosto, porque naquela pesquisa, ainda era apresentado o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ausente no questionário atual. Naquela pesquisa, Bolsonaro tinha 39% de rejeição, e Lula, 34%.

Mesmo com o número maior na rejeição, Bolsonaro mantém a liderança nas intenções de voto, com 24%. No último levantamento, divulgado em 22 de agosto, ele apareceu com 22%.

A pesquisa aponta ainda que Ciro Gomes (PDT), que aparece com 13%, Marina Silva (Rede), com 11%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 10%, e Fernando Haddad (PT), com 9%, estão tecnicamente empatados em segundo lugar, considerando a margem de erro.

O Datafolha considerou o nome de Haddad como possível substituto do ex-presidente Lula, que teve a candidatura barrada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), para a corrida ao Planalto. Nenhum cenário com Lula foi apresentado aos entrevistados.

Segundo turno

O levantamento trouxe ainda nove cenários possíveis para segundo turno. Testado contra Marina, Alckmin e Ciro, Bolsonaro seria vencido por todos se o segundo turno fosse realizado hoje. Já contra Haddad, o resultado seria um empate técnico. Veja as simulações:

Marina x Bolsonaro

  • Marina Silva (Rede): 43%
  • Jair Bolsonaro (PSL): 37%
  • Brancos e nulos: 18%
  • Não sabe: 2%

Alckmin x Bolsonaro

  • Geraldo Alckmin (PSDB): 43%
  • Jair Bolsonaro (PSL): 34%
  • Brancos e nulos: 20%
  • Não sabe: 3%

Ciro x Bolsonaro

  • Ciro Gomes (PDT): 45%
  • Jair Bolsonaro (PSL): 35%
  • Brancos e nulos: 17%
  • Não sabe: 3%

Haddad x Bolsonaro

  • Fernando Haddad (PT): 39%
  • Jair Bolsonaro (PSL): 38%
  • Brancos e nulos: 20%
  • Não sabe: 3%

Nos outros cenários testados, Alckmin teria empate técnico com Ciro e com Marina. Haddad seria vencido em outras duas simulações: uma contra Marina e outra contra Alckmin. Já Ciro venceria Marina caso disputasse, hoje, um segundo turno contra ela. Veja os cenários:

Ciro x Alckmin

  • Ciro Gomes (PDT): 39%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 35%
  • Brancos e nulos: 23%
  • Não sabe: 3%

Marina x Alckmin

  • Marina Silva (Rede): 38%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 37%
  • Brancos e nulos: 23%
  • Não sabe: 2%

Alckmin x Haddad

  • Geraldo Alckmin (PSDB): 43%
  • Fernando Haddad (PT): 29%
  • Brancos e nulos: 25%
  • Não sabe: 3%

Ciro x Marina

  • Ciro Gomes (PDT): 41%
  • Marina Silva (Rede): 35%
  • Brancos e nulos: 22%
  • Não sabe: 2%

Marina x Haddad

  • Marina Silva (Rede): 42%
  • Fernando Haddad (PT): 31%
  • Brancos e nulos: 25%
  • Não sabe: 3%

(Uol Eleições 2018)

Atualmente não avaliado

Comentários

Não há comentários no momento.

Novo Comentário

obrigatório

obrigatório (não publicado)

opcional

Arquivo

2020
2019
2018
2016
2014
2013
2012
2011
2010
2009