181 anos de nascimento do Brigadeiro Tibúrcio serão celebrados em Fortaleza e Viçosa do Ceará

(1 comentário)

O Comando da 10ª Região Militar - Região Martim Soares Moreno e a Prefeitura Municipal de Viçosa do Ceará estão realizando, desde o mês de março, uma programação especial para marcar a passagem dos 181 anos do viçosense Brigadeiro Antônio Tibúrcio Ferreira de Sousa, nascido na Vila Visçosa Real da Amércia, em 11 de agosto de 1837.  

A programação começou no dia 28 de março com duas missas pela passagem dos 133 anos da morte Brigadeiro Tibúrcio, que aconteceram na Igreja Matriz de Viçosa do Ceará e Na Igreja do Rosário, em Fortaleza.

Em agosto, acontecerão vários eventos alusivos às comemorações do 181º aniversário do Brigadeiro Tibúrcio, dentre os destaques, a 2ª edição da comenda “Medalha 180 Anos de Nascimento do Brigadeiro Antônio Tibúrcio Ferreira de Souza, realizada pelo Instituto Literário Viçosense (ILV), que este ano homenageará 25 personalidades cearenses. Confira abaixo a programação completa em Fortaleza e Viçosa do Ceará:

Lista dos homenageados pelo Instituto Literário Viçosense (ILV) - 2ª edição - Ano 2018

1) Cel. Canuto Tupy Caldas (in memoriam)

2) Dr. Edgar Bezerril Fontenele (in memoriam)

3) Olga Gomes Paiva

4) Franklin Freire Dantas

5) Gilmar de Carvalho

6) Francisco César Pierre Barreto Lima

7) Tânia Maria de Sousa França

8) Cel. Marcelo Paiva Fontenele

9) José Stênio Burgos

10) Instituto José Xavier – IJX (Granja/CE);

11) Pe. Carlos Alberto Sales

12) Antônio Raimundo Mapurunga

13) Ângelo Portela Moita

14) João Silva de Sousa

15) Marcos Alberto de Oliveira Vieira

16) Francisco Levi Jucá Sales

17) Maria do Socorro Sampaio Flores (Mileide Flores)

18) Maria Inês Mapurunga de Miranda

19) Aurélio Melo

20) Cel. Francisco Caldas da Silveira Neto

21) José Liberal de Castro

22) Assunção de Carvalho Mapurunga

23) Antônio Edilberto Araújo Barreto

24) Major Gustavo Augusto de Araújo Chaves Pereira

25) Oscar Carneiro Mapurunga

Sobre o Brigadeiro Tibúrcio

ANTÔNIO TIBÚRCIO FERREIRA DE SOUZA, o guerreiro indômito, grande pela ideia, grande pela palavra, grande pela espada, sempre grande, nasceu na quebrada da Ibiapaba, na pitoresca cidade de Viçosa do Ceará, no dia 11 de agosto de 1837, dia de São Tibúrcio, filho de Francisco Ferreira de Souza e Margarida Ferreira do Nascimento.

Recebeu os Santos Óleos na Igreja de Villa Viçosa Real, hoje Igreja de Nossa Senhora da Assunção.

Filósofo e guerreiro como Xenofonte, orador e soldado como César, inteligência superior, impetuoso, eloquente, enérgico para os fortes e meigo para os pequenos, afável e polido, tinha este grande homem, a inefável fortuna de se fazer amado de tantos quantos se lhe aproximavam.

Ilustre nas armas e nas letras, TIBÚRCIO foi um verdadeiro cavalheiro, sem medo e sem mácula, teve adversários, mas nunca inimigos. Nunca seu braço pendeu, porque nunca seu peito deixou de pulsar pela PÁTRIA!

A personalidade inconfundível do BRIGADEIRO TIBÚRCIO, toma afeição fantástica de um SÍMBOLO NACIONAL e a sua impetuosidade é característica marcante do soldado de alma verdadeiramente combativa, onde foi um dos mais hábeis artilheiros de seu tempo.

Ao chegar a notícia da guerra, Tibúrcio de imediato, exclama uma frase que ficaria na memória dos seus colegas de farda: “Bravo! Ou morro, ou volto coronel!”

Era dotado de uma memória prodigiosa e possuía uma cultura geral sobre todos os ramos da Ciência Humana, particularmente a Matemática, o que lhe deu lugar de destaque no seio do professorado militar.

TIBÚRCIO salientou-se na CAMPANHA ABOLICIONISTA do BRASIL e foi um dos primeiros a proclamar bem alto a necessidade de alforriar de qualquer modo os escravos brasileiros. Ele foi um paradigma de inusitadas VIRTUDES MILITARES e CÍVICAS, além de brilhante e indomável espírito.

Estabelecendo a paz, o governo o encarregou de diversas comissões, inclusive no Exterior. Percorreu a Itália, a Alemanha, a França, a Inglaterra, visitando as melhores fábricas de artigos bélicos. Nestas viagens e enriqueceu-se de uma grande instrução técnica.

Até os seus últimos momentos exerceu o cargo de Inspetor dos Corpos, Companhias Isoladas, Estabelecimentos Militares e fortaleza de Pernambuco ao Maranhão.

Já quase em estado de agonia, ergueu-se do leito e de pé, em plena função de sentidos, despediu-se comovidamente de todos os presentes, não se esquecendo, até de seu bagageiro Mendes, companheiro antigo de lutas e vitórias.

Volta ao leito e entrega a alma ao criador em pleno vigor dos seus 48 anos, na cidade de Fortaleza.

Um herói de muitas estátuas e praças, que teve uma vida traçada e colorida a cada inauguração, a cada comemoração, a cada estátua e a cada biografia.

O povo viçosense, prestou uma significativa homenagem ao seu heróico e bravo filho, erguendo-lhe uma estátua de bronze, que nós contemplamos com profundo respeito e admiração.

Nessa comemoração de seus 181 anos de nascimento, exaltamos a figura desse grande artilheiro e infante, que se destacou ao longo dos seus 34 anos de total dedicação ao serviço da Pátria, por seus atos de heroísmo e invulgar coragem.

Como disse Clóvis Beviláqua: “Do alto da Ibiapaba, que o viu nascer, a sua estátua mostrará, aos brasileiros, um dos mais belos profundos humanos de nossa terra.”

SALVE! BRIGADEIRO TIBÚRCIO!

SALVE ! EXÉRCITO BRASILEIRO!

SALVE! VIÇOSA DO CEARÁ!

CRONOLOGIA DA VIDA DE TIBÚRCIO

11/08/1837 - Nascimento em Vila Viçosa Real da América, hoje Viçosa do Ceará.

26/06/1851 - Praça no Meio Batalhão de Caçadores (Fortaleza/CE).

1852 - 3º Sargento transferido para o 1º Batalhão de Artilharia a Pé, Rio de Janeiro (RJ).

1853 - 3º Sargento, ingressado na Escola Militar da Praia Vermelha.

1857 - 2º Tenente, na Escola de Aplicação com Preparador de Física e Química.

1863 - 1º Tenente, retornando ao 1º Batalhão de Artilharia a Pé.

1866 - Capitão, no Comando de uma Bateria de Morteiros.

1867 - Major, no Comando do 14º Batalhão de Infantaria.

1868 - Tenente Coronel, participante da Tomada de Humaitá.

1869 - Coronel, retornando ao Brasil no término da Guerra da Tríplice Aliança.

1879 - Brigadeiro, até o seu falecimento em 28 de março de 1885, em Fortaleza/CE.

(Com informações do escritor, historiador e Coordenador do Instituto Literário Viçosense: Gilton Barreto)

Atualmente não avaliado

Comentários

Comentário aguardando aprovação 10 meses, 4 semanas atrás

Novo Comentário

obrigatório

obrigatório (não publicado)

opcional

Arquivo

2019
2018
2016
2014
2013
2012
2011
2010
2009